quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Mandrágora (Planta)

 

 Desenho de uma mandrágora.



A mandrágora (Mandrágora Officinarum- Taxonomia em latim) é uma espécie de erva perene comum nos países em torno do mediterrâneo. Pertence à família Solanaceae; assim como a beladona, o meimendro e a dulcamara. Esta planta é rica em alcalóides, propriedades alucinógenas, e é cercada de inúmeras lendas, que lhe atribuem poderes mágicos.


 
Etimologia

A palavra mandrágora vem do latim Mandragora que vem do grego mandragoras (mandrágoras). A origem da palavra grega é misteriosa. Para alguns, mangrágora vem do nome do mandril em nam assírio. Para outros, a origem vem do sânscrito Mandros que significa “sono” e Ágora que significa “substância” = “substância do sono”.

Ou do radical sânscrito: MAD-inebriar; GAR-consumar; GARA- malícia, incorporado no grego: Mandra e Agayrós- nocivo, noctívolo. Ou ainda do sânscrito: MADHIRA- licor inebriante.

Ou de origem africana: Mandraca, que significa: beberagem de feitiçaria.

Mandrágora em Francês é Mandrake, e em alemão é Alraune, antes chamada de Alruna, que vem de Runa que significa: mistério, coisa escondida. E somente depois a palavra Runa passou a significar o alfabeto nórdico.

Os radicais gregos e sânscritos trazem um ar de mistério a palavra, seria mais ou menos: planta da fantasia, licor da magia, licor nocivo ou algo associado aos efeitos químicos da mandrágora.

A origem do nome, na verdade, é tão confusa, quanto as lendas que cercam a planta.


Forma

É uma planta cujo caule fica embaixo do solo, aparentando que as folhas brotem diretamente das raízes; se alta pode atingir cerca de 30 cm e solta um cheiro forte e penetrante. A raiz de coloração castanha pode atingir em alguns anos a impressionante marca de 60 a 80 centímetros de comprimento e em quilos. Sua forma é antropomórfica (possui ramificações que lhe dão uma certa semelhança humana, aparentando ter um tronco, pernas e até mesmo com muita imaginação uma cabeça e órgão genital) e é por isso a fonte de muitas  lendas e superstições.

A raiz pode, ainda, ultrapassar um metro de profundidade. As suas folhas são grandes e se assemelham as da alface, atingem cerca de 45 cm de comprimento.

 
Classificação

São plantas que pertencem à família do tomateiro e da batata-inglesa, família das solanáceas. Formam o gênero mandrágora.

 
Distribuição

É uma planta nativa do mediterrâneo, encontrada no norte da áfrica (Argélia, Marrocos, Tunísia), sul da Europa (Itália, Grécia, antiga Jugoslávia, Espanha, Portugal) e oriente médio (Israel, Jordânia, Líbano, Síria, Turquia, Chipre).


 
Propriedades farmacológicas

É uma planta rica em alcalóides psicotrópicos (0,4% de alcalóides totais) e outras substâncias prejudiciais. Estas substâncias parassimpaticolíticas (referente ao sistema nervoso autônomo) levam a midríase e alucinações seguidas de narcose.

Por sua composição química, são plantas sedativas; antiinflamatórias; hipnóticas; antiespamódicas; alucinógenas e tóxicas, chegando levar a morte.

Dizem, ainda, que são afrodisíacas, e seu uso, como tal, aparece em Gênesis 30:14 e Cantares 7:13; nos capítulos desses dois livros da Bíblia são relacionadas a fecundidade (Gênesis 30) e ao amor (Cantares 7).

Os médicos romanos usavam a mandrágora como anestésico, e davam ao paciente um pequeno pedaço da raiz para mastigar antes da cirurgia ou para o tratamento de dores crônicas, melancolia, entre outros.

 
Mandrágora associada à bruxaria

Diziam que as bruxas passavam uma espécie de pomada feita de diversas ervas; entre as quais a dulcamara, o meimendro negro, o acônito e a mandrágora; em suas vassouras e em seus corpos, logo depois saíam voando.

No século XVI (16), médicos fizeram experiências com essas ervas e testaram a “tal pomada”. O resultado não foi outro: constataram que elas tinham elementos químicos tão poderosos que levavam ao sono e a ter alucinações. 

As ditas bruxas passavam na pele e na vassoura e logo depois dormiam e sonhavam (supostamente sonhavam que estavam voando).

A mandrágora é uma dessas plantas que possuem elementos químicos, altamente, poderosos. Foi ao longo da história endeusada e em torno dela existem inúmeras superstições.