quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Dragão (ocidental)

Proveniente de várias mitologias, os dragões também fizeram parte do antigo folclore europeu. Para os ocidentais são criaturas com corpo de lagarto, pescoço e cabeça de serpente e asas de morcego. A palavra dragão vem do grego: drakon(drakon)=grande serpente. O dragão ocidental, diferente do dragão chinês, é associado ao mal, segundo os antigos eram terríveis feras que vomitavam fogo e destruíam vilarejos.

Na Bíblia cristã aparecem no livro do apocalipse: Ap: 12, 7-12 e Ap: 12,3.
Os gregos já os conheciam, logo após os escandinavos pintavam dragões em seus escudos e esculpiam lindas cabeças de dragão na proa de seus navios.
A aparência dos dragões ocidentais era a de um réptil, geralmente tendo corpo de lagarto, escamas, pescoço e cabeça de serpente, orelhas de boi, 2 ou mais chifres, 4 garras de águia e asas de morcego, embora alguns não tinham orelhas, mas escutavam pelos chifres.

Há ainda os Wyverns, que eram dragões que possuíam corpo de lagarto, somente as patas traseiras de lagarto, cabeça e pescoço de cobra e asas de morcego (diferente do dragão de 4 patas, o Wyvern tinha apenas duas patas e um par de asas, semelhante a uma ave).

Na Grécia, Hércules, Apolo, Cadmo e Perseu mataram dragões. Sigurd, Siegfried e Beowulf abateram-nos nas antigas lendas nórdicas, inglesa e germânica. São Jorge (o quadro de São Jorge representa a luta entre o bem e o mal, o bem: São Jorge e o mal: dragão) e São Miguel Arcanjo, também lutaram com dragões.