quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Hinkypunk

O Hinkypunk é uma criatura do folclore inglês, supostamente, presente na cultura das regiões de Devon e Somerset, é tido como um duende travesso, que atrai viajantes com uma tocha, pra regiões perigosas.

Forma

Possui várias formas, depende da região de onde o mito é contado. Alguns dizem que é um duende feito de fumaça , que carrega uma tocha em uma de suas mãos. Outros preferem dizer que é uma fada travessa de lindas asas, de beleza radiante e de tamanho diminuto.

Ações
O hinkypunk se diverte, em levar andarilhos para penhascos, lamaçais e outros lugares perigosos. Sua ação é a seguinte: à noite, o hinkypunk avista um andarilho, e acende sua tocha. O pobre homem vê a luz e pensa ser alguma pessoa mais a frente ou o seu lugar de destino, e vai em direção à luz. Só que o infeliz andarilho acaba caindo em um penhasco, afunda num lamaçal ou cai em um pântano. E o hinkypunk dá risadas e se diverte com a burrice do viajante.


Outros nomes:
Hinkey punk (origem do termo hinkypunk)
Hobbedy's lantern (ou seja: duende da lanterna)
Will o the wisp (fenômeno das luzes)

Origens

Como já dito, o hinkypunk é um ser do folclore da Inglaterra, sendo difundido nas regiões de Devon e Somerset. Mas, em todo o reino unido, e Irlanda, encontram-se lendas de criaturas míticas, muito parecidas com o hinkypunk. Há o pwca, um duende ou fada que, também, atrai viajantes para regiões perigosas. Segundo folcloristas ingleses, o Pwca e o hinkypunk são parentes, ou seja, mitos parecidos, mas com variantes.
O mito pode ter tido origem na mitologia celta e ter sofrido alteração com o tempo. Os celtas eram conhecidos por acreditar em fadas, duendes e espíritos da natureza.
No Brasil há mitos parecidos com este; como o de João Galafuz, duende da mítica nordestina, que aparece como um facho de luz no mar. Há, ainda, aqueles que juram, de pé junto, se tratar de almas penadas, assombrações, fantasmas que vagam à noite.
O mito de Jack da Lanterna, também está associado ao fenômeno das luzes, pois Jack, vaga na escuridão do mundo com sua lanterna que foi dada pelo diabo.
 
Veja o post: SERES MITOLÓGICOS 

Visão científica
As luzes avistadas à noite, de fato existiam e até hoje são vistas, mas não são duendes, Hinkypunks e Pwcas. Para a ciência nada mais é do que fogo-fátuo, combustão espontânea de gases dos pântanos, que ocorre porque há decomposição de seres vivos (animais e plantas).
Por séculos, os viajantes da Inglaterra rural, culpavam duendes e outros espíritos travessos, por terem caído num pântano ou se distanciado do caminho. Naquela época, os viajantes não sabiam o que era na verdade, e criavam criaturas imaginárias para explicar ou por a culpa.
Hoje se sabe que não são hinkypunks, e sim fogo-fátuo, mas claro que ainda há quem acredite no improvável...

Na literatura
O mito se tornou difundido no mundo por causa da autora J.K. Rowling, que colocou um Hinkypunk no livro: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.
O mito foi explicado por Alan e Elizabeth Kronzek no livro: Manual do Bruxo, neste os autores explicam quais foram as fontes de folclore e de mitologia que a autora J.K. Rowling utilizou na obra de fantasia.