terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Civilização do Vale do Danúbio e Civilização do Vale do Indu (Indo)



A área verde no mapa é a área de abrangência da Civilização do Vale do Danúbio (danubianos), conhecida pela antropologia como Europa Velha. A área amarela é a área de abrangência da Civilização do Vale do Indu (indianos). E a área em laranja é a região de origem dos Arianos (proto-indo-europeus) que estavam localizados nas estepes da Eurásia e em volta do Rio Volga na Rússia.

Civilização do Vale do Danúbio é o nome dado a um conjunto de culturas que estavam situadas nas margens do rio Danúbio, principalmente nos Bálcãs e na Europa Central. Todas as civilizações da antiguidade surgiram às margens de rios, esses eram perfeitos para agricultura e para viver, assim como na Mesopotâmia (Rio Tigre e Eufrátes), no Egito Antigo (Nilo), na China (Rio Amarelo) e também na Índia (Rio Indu).

Civilização do Vale do Indu (Indo) é o nome dado a um conjunto de cidades e culturas que estavam localizadas nas margens do rio Indu (Harappa, Mohenjo-Daro...) e estavam localizadas onde hoje é o Paquistão.

Essas duas civilizações eram avançadas e estavam baseadas na arte e subsistência. Não chegavam constituir uma unificada civilização, pois eram várias culturas e povos, mas que de certa forma tinha parentesco e estavam entrelaçados, aliás, praticavam intercâmbio!

Ambas são comparadas à cultura sumeriana, que assim como elas foi invadida por povos semitas e conquistada. 

Contudo nessas duas civilizações quase não havia classes sociais, as descobertas arqueológicas mostram que tanto a Civilização do Vale do Danúbio quanto a Civilização do Vale do Indu mostram casas praticamente iguais, e com pouquíssimas diferenças físicas. As diferenças físicas das casas dessas civilizações provém do esforço de cada morador, por exemplo, haviam casas de dois ou mais andares nessas duas civilizações.

Escrita e números

 
A suástica aparece primeiramente na Cultura Vinca, esta então pré-ariana. Ou seja: o símbolo da suástica não surgiu com os arianos. 


Na Cultura Vinca que pertence ao grupo do Vale do Danúbio pré-ariano aparece uma espécie de proto-escrita ou símbolos misteriosos e que pareciam ter uma função que poderia ser religiosa, de escrita ou de números, entre os quais está a suástica. A suástica tem sua primeira aparição na Cultura Vinca e logo depois apenas foi adotada pelos arianos que invadiram o território dos Bálcãs e tomaram como símbolo, outra é que pode ter havido intercâmbio cultural e economicamente. 

Alguns estudiosos acreditam que os símbolos Vinca podem ter sido a espécie de hieróglifos ou ter funcionado como ideogramas orientais, ou ainda ter formados sons, ou seja, as primeiras letras. A suástica, por exemplo como ideograma, representaria o sol, o ciclo, o renascer e o vento. Mas a chegada dos arianos à região obscureceu a Cultura Vinca e os símbolos e seu fundamento foi esquecido, sabe-se apenas que a suástica está relacionada ao renascimento e ao sol.



Na imagem: símbolos da cultura Vinca que os arqueólogos não sabem qual fundamento tinha.

Já nas culturas do Vale do Indu nota-se os primeiros exemplares de números e é inegável que a escrita Indu de caráter oriental (ideograma) e os números que viriam a surgir na Índia não foram em hipótese nenhuma herança dos arianos. Toda a cultura e povo indiano de hoje nada mais é do que a cultura do vale do Indu refletida. Os arianos trouxeram o sistema de castas, uma influencia linguística e alguns costumes que foram misturados com os dos indianos.

Mas no todo: a sociedade indiana não teve a influencia hiper-cultural dos arianos, porque já havia uma grande cultura na Índia.


Fim de duas grandes civilizações

Com a chegada dos arianos as duas civilizações colapsaram, contudo alguns estudiosos acreditam que a civilização do vale do Indu já estava se rompendo e a falta de ordem social a destruiu. Já na civilização do vale do Danúbio algo similar acontecia: havia uma super população e problemas de organização. A civilização do vale do Danúbio e do vale do Indu eram desorganizadas no final, já os arianos eram muito bem organizados e eram militarizados (havia guerreiros, homens à cavalo que protegiam o povo de povos inimigos e o povo do próprio povo).

Contudo existia um fator muito maior por cima do declínio de duas civilizações, além da superpopulação, às margens de dois imponentes rios e da dispersão dos arianos: o clima.


A superpopulação e a mudança climática

O que levou os arianos à migrarem e declinou a civilização do vale do Danúbio e Indu foi a superpopulação e o clima. Arianos, danubianos e indianos tinham crescido populacionalmente e a Mudança Climática fez os arianos se deslocarem para poder praticar agricultura e também porque já não havia mais espaço pra todos no mesmo lugar. Já danubianos e indianos como não andavam a cavalo ficaram à mercê do tempo e Harrapa (cidade da civilização do Vale do Indu) foi abandonada, assim como Mohenjo-Daro tudo por questões populacionais e climáticas.

Os arianos trouxeram uma sociedade organizada, fixa, com poderio militar (proteção contra povos invasores), o gado e o cavalo.


Herança cultural

A herança mais notável é da civilização do vale do Indu que hoje está refletida na Índia atual com sua cultura e tecnologia. Já a civilização do vale do Danúbio parece ter caído na obscuridade, contudo suspeita-se a origem do direito feminino nos povos arianos: havia mulheres citas guerreiras; havia mulheres celtas também e que também possuíam quase os mesmos direitos que os homens; nos povos nórdicos-germânicos a mesma coisa é observada.

A questão que fica é: o direito das mulheres na sociedade ariana surgiu dentro da sociedade ariana? Ou foi herança dos antigos europeus? Romanos, gregos e persas não tinham tamanho respeito por suas mulheres, e os três eram povos arianos. Os arianos eram patriarcais e as mulheres dos líderes eram mortas junto com eles, contudo talvez a resposta estaria no que tanto o folclore fala de mulheres ruivas de temperamento difícil e obstinadas, mulheres essas que estavam na Alemanha e que se misturaram com os nórdico-germânicos e celtas e mais tarde arderam nas fogueiras da Europa da Idade Média por se oporem ao cristianismo.