quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A Sociedade Vril - A Loucura Nazista ao Extremo

Retrato de Maria Orsic


O ápice da loucura nazista foi uma sociedade chamada Vril. Primeiro o nome não é nem um pouco original, e vem de um livro de ficção chamado de A Raça Futura lançado em 1871 e escrito por Edward Bulwer-Lytton.

No inicio da loucura nazista pela superioridade da raça nórdica eles começaram a divulgar que os arianos (povo primitivo de maioria nórdica que surgiu nas estepes da Ucrânia e Rússia) eram descendentes dos atlantes, seres do conto de Platão que viviam na chamada ilha de Atlântida e que foi inundada pelos deuses, assim sendo alguns fugiram e segundo conta deram origem a diversas populações avançadas inclusive os egípcios.

Mas logo depois surgiu uma mulher chamada Maria Orsic, da qual pouco se sabe sobre seu paradeiro no final da guerra, supostamente ela se matou em alguma floresta ou viveu clandestinamente em outro país, mas os ufólogos acreditam que ela era um alienígena.

Maria Orsic junto com outros nazistas fundaram a sociedade vril, uma sociedade de poderes ocultos que dizia ter comunicação com alienígenas.
O mais engraçado é que eram somente mulheres que serviam como mensageiras dos ditos “aliens nórdicos”, outra é que elas deixavam os cabelos crescerem até os pés para captarem as “energias cósmicas!”
Segundo essa sociedade os cabelos compridos de moças serviam como antenas entre o cosmos e os aliens.

Depois que os nazistas perderam a guerra a sociedade foi dissolvida e mais tarde foi a vez dos russos imitarem os alemães fazendo uso de técnicas fajutas para assustar os Estados Unidos, durante a guerra fria, mostrando que eles tinham super armas tanto nucleares, tecnológicas e mentais, aí surgiram os ditos “paranormais russos.”


Até hoje James Rhandi um mágico americano promete dar o premio de 1 milhão de dólares pra quem comprovar que possui poderes paranormais.
E como diz aquele ditado:

“Na hora do desespero a bruxa vira princesa!”