quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma! Tudo é um remix: O mito da obra original!




 
George A. Romero o cara que reinventou o folclore a cerca dos zumbis.



Na natureza a ideia de originalidade não existe! Então porque existiria no mundo humano? Tolice achar que o ser humano é capaz de criar! O ser humano é capaz de copiar, adaptar, modificar e aperfeiçoar, mas não de criar. Tudo em si provém de algo que antes havia existido. Em biologia sabemos que todos os seres desse planeta provieram de uma única bactéria, que embora ainda seja mais uma teoria faz sentido, e a partir daí a vida se adaptou, mutou (mutação, mutar do latim MUTARE significa mudar, mutação= mudança). Charles Darwin no livro A Origem das Espécies explicou bem isso sobre a evolução.


Mas o cara mais foda a falar sobre evolução foi Antoine de Lavoisier que numa frase fechou:


“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.”


Lavoisier era químico, e quem melhor que um químico para entender de mudanças e recriações.


Assim como na natureza, na cultura popular não existe “o original”, seja em livros, revistas, filmes e em jogos de videogame não existe “o original!” O que existe é uma ideia adaptada para que não dê a impressão de que você já viu aquilo em algum lugar ou por ser uma ideia adaptada, quem a adaptou a recriou, daí vem a palavra recriar, que significa criar novamente, contudo de forma diferente do modelo original.



Para se obter sucesso em uma obra literária ou audiovisual  é necessário um mix (mistura de coisas):


1ª Uma ideia base – geralmente vem do folclore, ex.: a princesa raptada por uma bruxa, o jovem que luta com um monstro e por aí vai... Não existe história que não exista no folclore!


2ª A adaptação dessa ideia – e aí que o termo recriação surge: você pega a ideia que consta no folclore e a adapta ao seu modo. Mas não são todos que conseguem adaptar a ideia base, muitos acabam esbarrando no plágio ou numa cópia mal feita de uma obra já adaptada. É eis que entra a 3ª parte.


3ª A adaptação bem posicionada com lances lógicos – é aí que surgem as grandes obras, o autor acrescenta diálogos lógicos, uma história dentro de uma história, uma história não contada antes ou pouco conhecida tendo como fundo a ideia base, uma trama, uma articulação... 


Enfim uma obra “original”, ou seja, bem recriada é uma obra que contém um conjunto de uma ideia base, ideias dentro do contexto, uma trama dentro da ideia base e dentro das ideias do contexto.


Ou seja: um emaranhado diferente, mas no fundo nada original! O QUE É ORIGINAL É O EMARANHADO, A TRAMA JUNTO COM A HISTÓRIA BASE.



É difícil entender para quem nunca observou mais detalhadamente, mas enfim abaixo tu verás uma lista de obras que não passam nada mais do que adaptações e recriações de obras já existentes. 




Senhor dos Anéis = Saga dos Volsungos, A Canção dos Nibelungos, O Anel dos Nibelungos, história da Europa antiga e Segunda Guerra Mundial.





Harry Potter = Senhor dos Anéis, Star Wars e A Wizard of Earthsea.



Jurassic Park = Ilha do Dr. Moreau de HG Wells e Mundo Perdido de Arthur Conan Doyle.



A Múmia (filme 1999) = A lenda da maldição da múmia de Tutankamon e Lot Number 249 (Lote número 249) de Arthur Conan Doyle.



Independence Day (filme 1996) = Guerra dos Mundos de HG Wells.



Planeta dos Macacos = Simbad O Marujo (conto d’As Mil e Uma Noites).



As Viagens de Gulliver = Simbad O Marujo (conto d’As Mil e Uma Noites).



Resident Evil (jogo) = Super Mario Bros e The Dulce Book.



Avatar = Pocahontas, Apocalipto (filme de Mel Gibson) e Universo Noon.



Piratas do Caribe = Histórias folclóricas de piratas, A Ilha do Tesouro de Robert Louis Stevenson e a A Ilha da Garganta Cortada.



Star Wars = O Planeta Proibido, Flash Gordon, Star Trek e 2001 – Uma Odisséia no Espaço.



Indiana Jones = As Minas do Rei Salomão.



As Minas do Rei Salomão = A Ilha do Tesouro.





Todos os super-heróis dos grupos DC Comics e Marvel, por exemplo, são baseados nos semi-deuses e heróis gregos.



Batman= Perseu

Superman= Hércules

Homem-aranha= Cadmo

X-men= Deuses Olimpianos

Os inimigos dos X-men= Titãs


Um exemplo incrível de adaptação é o filme A Lenda do Cavaleiro Sem-Cabeça de Tim Burton, que é baseado no conto de Washington Irving. O filme pega a ideia base da figura do cavaleiro sem-cabeça de Irving e adiciona uma trama nova, onde envolve vingança, mentiras e uma pitada de mistério. O conto de Irving é sem graça e nem pode ser compara ao excelente filme feito em 1999 tendo como protagonistas Johnny Depp e Christina Ricci.


Entre as mais sensacionais adaptações de todos está A Noite dos Mortos Vivos de George A. Romero que modificou a imagem de zumbis no folclore popular, George A. Romero transforma seus zumbis em canibais e que só podem ser mortos com um tiro na cabeça, além disso, a pessoa se torna zumbi se for mordida por um um.


Kirby Ferguson criou a série Everything Is a Remix (Tudo É Um Remix) que mostra o óbvio de que nada na cultura popular é criado, mas sim reciclado ou compilado. Kirby Ferguson mostra as obviedades e inclusive plágios descarados na cultura cinematográfica. Algumas das obviedades são homenagens, outras são puro plágio!


Abaixo o documentário Everything Is a Remix legendado e completo: