terça-feira, 5 de novembro de 2013

Teoria da Loucura Germânica

Joana D'Arc sendo queimada, pintura de Jules Eugène Lenepveu.

Fonte da imagem: Wikipédia (link)


Os alemães estão entre as etnias mais intelectualmente desenvolvidas da historia, isso de fato é inquestionável.

Contudo se por um lado existe uma inteligência admirável fruto dos bons genes e memes, por outro a loucura se mostra mais uma vez irmã da inteligência.


No universo perturbado

Pelo fato de o universo não ser coordenado e ser perturbado (ou seja, não existe um criador e nem perfeição no cosmos) a inteligência e a loucura caminham juntas.

A muito se especula a ligação entre loucura inteligência.

“Seria a inteligência fruto da loucura, ou a loucura fruto da inteligência?”

A lista de gênios malucos é notável, sempre existe alguma pessoa genial com bipolaridade ou qualquer outro quadro possível. Testes neurológicos chocaram especialistas a pouco ao mostrar a enorme semelhante entre loucura e inteligência.


A loucura na Germânia

As primeiras observações de povos germânicos vieram dos romanos que os tinham os germânicos como rudes, cabisbaixos, tímidos e grotescos por viverem na densa Selva de Hercínia.

Mas a origem de toda a loucura generalizada provém de antes disso, dos antigos eurai (proto-indo-europeus). Sabe-se que os arianos faziam sacrifícios, matavam as mulheres de líderes tribais e tinham suas oferendas. Ok, nada anormal comparado aos egípcios com suas mumificações.



Eis dois nomes que marcam a loucura germânica:

Doppelgänger – (em português: o duplo andante) – é um ser mitológico que aparece para algumas pessoas. O Doppelgänger é um ser idêntico a certa pessoa e aparece como um aviso ou como um presságio de morte.

Poltergeist – (em português: os espíritos barulhentos) – diz ser um fenômeno que ocorre com crianças na puberdade, mais visto em meninas, e que trás presenças sobrenaturais, barulhos, levitação de objetos e enorme transtorno na casa. É tido ser um poder sobre-humano.

Ambos esses dois fenômenos do folclore germânico já foram presenciados em outros países.


Os sacrifícios em honra a morte na Germânia

Os eurai antigos faziam diversos sacrifícios às vezes apenas por diversão mesmo.

Mas o que muitos estudiosos nunca notaram é a ligação entre a Caça as Bruxas e o Holocasto na Alemanha Nazi.

Caça as Bruxas – pra quem não sabe começou na Alemanha, sem contar que a Alemanha foi o país que mais matou gente por bruxaria em toda a Europa. A caça as bruxas mais tarde se espalhou e ganhou o velho continente.

Holocasto na Alemanha Nazi – do mesmo modo que a caça as bruxas, o holocasto começou na Alemanha sobre pretexto de purificação racial e se espalhou depois ganhando toda a Europa.

Na Caça as Bruxas notamos que fala-se de uma pureza espiritual e que as bruxas deveriam ser queimadas a maneira dos antigos arianos que queimavam alguns cadáveres que consideravam impuros (a cremação na Europa foi espalhada pelos arianos); já no Holocasto o pretexto é a pureza física, e as pessoas serviam de experimento médico, trabalhavam como escravos e depois eram mortas.


Conclusão

É errôneo afirmar com todas as palavras que existe uma ligação fortíssima entre A Caça as Bruxas e o Holocasto, mas é mais errôneo deixar passar essa forte ligação.

Pode ser apenas uma coincidência dois terríveis genocídios terem surgido e ocorrido na mesma terra, contudo sempre achei notável mostrar essa ligação até para se discutir a cerca desses fatos.

Sim ou não, loucura e razão andam de mãos dadas!