sexta-feira, 20 de novembro de 2015

As múmias de Tarim: as misteriosas múmias arianas!

A Bela de Xiaohe que recebeu esse nome por aparentar ser uma bela mulher quando viva e por ser ruiva! Ela é uma das centenas de múmias tocarianas encontradas na Bacia de Tarim. (Joga no Google: The Beauty of Xiaohe).
Fonte da imagem: AP Photo / Jae C. Hong

As múmias de Tarim (The Tarim Mummies pra ti jogar no Google e ter melhores resultados) é o nome dado a um conjunto de múmias encontradas na bacia do rio Tarim e que data de 2.000 anos antes de Cristo (calendário cristão é foda, né)!


Descoberta e escavação

Foi a partir do século 20 que aventureiros europeus começaram a descobrir as estranhas múmias, contudo o povo que vivia naquela região foram os primeiros a descobri-las. Foi só nos anos 90, quando o governo chinês decidiu escavar a região para construir uma barragem hidrelétrica que as múmias vieram realmente à tona, até então o governo populista chinês não havia dado atenção e nem se importado com as múmias.



As múmias arianas!

“Múmias arianas” seria um termo incorreto do aspecto antropológico, já que os arianos foi um povo muito mais antigo, embora as múmias descendessem dos arianos. Mas pra dar pra chamar a atenção dos leitores e pra estudar como eram os povos arianos, creio que não seria incoerente, embora pareça.

As múmias são dos tocarianos, um dos povos arianos que se deslocou para o Leste, enquanto os arianos que viriam dar origem aos europeus atuais se deslocaram para o Oeste (para Europa).

Os tocarianos se instalaram na região de Xinjiang na China e durante muito tempo viveram como seminômades, habitando as montanhas, os campos e os desertos dessa região.

A região de Xinjiang na China

Fonte da imagem: Aljazeera

Múmias naturais!

Diferente das múmias egípcias, essas múmias não foram mumificadas (não passaram pelo processo de mumificação criado por mãos humanas). O que fez os cadáveres virarem múmias foi o solo onde elas foram enterradas (mumificação natural – da natureza), rico em sal e o clima árido e frio do deserto de Takla Makan também fez sua parte. Sal + clima árido + frio das montanhas = conservação.

Há outras múmias que foram conservadas não pelo sal e pelo clima, mas somente por causa do clima. É o caso da múmia cita do Altai (scythian mummy pra ti pesquisar no Google).

Na América do Sul muitas múmias de ameríndios foram achadas e foram conservadas por causa do clima também.


O que é fascinante nas múmias?

As múmias refletem o passado dos europeus em si. A fascinação é entender como viviam os antigos arianos, povo que dominou parte das estepes da Rússia, Cazaquistão e Ucrânia até se deslocar para a Europa e Ásia vindo a dar origem a várias civilizações.

Estudando as múmias confirmou-se várias teorias, como de que os arianos eram um povo seminômade, mas que não eram agricultores. Eram excelentes artesãos, sua base alimentar é essencialmente de origem animal (carne, leite e queijo). Trocavam seu artesanato e derivados de animais por vegetais (grãos, cereais...) com povos agricultores.

Eram mestres na criação de gado e excelentes cavaleiros. Muito bem armados com arcos e flechas, representam bem a síntese do caçador europeu antigo.


Não cremavam os mortos como se pensava primeiramente, mas sim os enterravam. Sacrificavam pessoas de outros povos e colocavam junto com o morto (este geralmente era um nobre ou um sacerdote) e junto eram enterrados um cavalo, uma carruagem, ferramentas, objetos e comida (pão, queijo, leite...) para que o morto no outro mundo (mundo dos mortos) pudesse ter como andar bem e tivesse companhia (o coitado que foi sacrificado).


A China não foi uma terra completamente isolada

A princípio pensava-se que a China havia se desenvolvido em completo isolamento, ou seja: como civilização a China não teve interferência alguma de outros povos culturalmente.

Mas os tocarianos (um dos povos arianos) fizeram negócios com os chineses antigos e o maior deles foi a troca de informações.

A maior delas foi que os tocarianos ensinaram os chineses a domesticar o cavalo e negociaram cavalos por produtos e vegetais chineses.
Houve também uma importância no comércio na famosa Rota da Seda!


O fim de um legado

Os tocarianos conheceram seu fim quando os povos turcos, que também eram nômades, se expandiram misturando-se. Os uyghur são o povo atualmente que descendem dos tocarianos, embora não represente com totalidade a cultura e genética tocariana, ou seja: descendem, mas não são legítimos em cultura.

Os uyghur a muito protestam e querem a criação do estado Uyrguistão (East Turkestan em ingreis pra tu jogar no Guugle di novo), mas o governo chinês sufoca qualquer rebelião, por considerar a região de Xinjiang cultural, cientifica e militarmente importante!

Abaixo o link para o documentário As Misteriosas Múmias Arianas da China: