domingo, 26 de abril de 2015

Versão brasileira: Herbert Richards! O problema da dublagem no Brasil e Portugal: Más interpretações, desleixos e companhia...




Não só de cagadas vive o brasileiro, mas de pinga da boa tamém! A Copa de 2014 além do vexame orçamentário (corrupção, tirando dinheiro do povo pra pagar a FIFA e toda a putaria que estamos acostumados) e do vexame conhecido como vexame dos 7 a 1, deixou um legado ainda maior: de que realmente nós brasileiros somos semi-anal-fá-betos!


Germânia, eis o nome correto do que no nosso português chulo chamamos de Alemanha! Mais além vem Holanda, que chamamos de Países Baixos! Ou que tal Islândia, quando no original se denomina Iceland (Terra Gelada).


O problema das traduções

Já pegou aquele filme terror na locadora cujo o título era: O Horror da Morte À Meia-Noite ou algo do tipo, quando a tradução literal (correta) do filme seria: Assolados pelo Medo. Kkkkkkk

Os tradutores são muito imaginativos ou a ordem vem dos estúdios, porque um título mais fodástico atrai mais público do que um simples.


Trasgo das masmorras!

Quando a tradutora de Harry Potter, que Deus a tenha, traduziu a obra para o português, tudo bem Grifinória, Sonserina, Corvinal e Lufa-Lufa. Até então há diferença notável entre línguas latinas e anglos-saxônicas, ela fez muito bem em traduzir da forma com que fez as casas de bruxos na série. A cagada se deu quando na sua idiotice intelectual, ou por causa da ideologia portuguesa de cultura, trocou o termo troll por trasgo!

Puta merda! No Brasil ninguém sabia o que era trasgo! Troll sim as pessoas conheciam, quem já leu sobre mitologia nórdica e sobre Tolkien sabia do que se tratava.


Bota o ingleis, mesmo, carai

A solução encontrada em Portugal e Brazil em meio à tanta cagada foi começar a usar termos em inglês mesmo. The Walking Dead é um exemplo... cri cri cri

Nem tanto a última tradução traduziu The Walking Dead para Os Mortos Vivos! 

Outra cagada! Quando o termo mais correto seria Os Mortos Andantes ou Assim Andam Os Mortos, já que o autor, Robert Kirkman, criava uma charada ou uma denominação que servia tanto para os mortos-vivos que erravam, quanto para os vivos sobreviventes do apocalipse zumbi! Então os mortos andantes parecia ser um ótimo termo para a série.

De Portugal ao Brasil, de Brasil à Portugal, cagadas a parte, as cagadas continuam aqui e acolá num titulo e outro. Nada contra traduções, mas uma tradução literal é o mais correto. Eu (pelo menos, não sei tu!) estou cansado desses títulos criados à base de maconha. >.<

Eu ouvi um: morre, diabo?

Kkkkkkkkk